01/12/2017 às 08h08 - Atualizado em 01/12/2017 às 08h45

Nossa praia pode cansar de esperar o amor dos seus

Andrey Martinez Rebelo e José Angelo Rebelo

"A tal lama deste pontal é o criadouro dos saborosos peixes que nossos pescadores põem em nossas mesas, então, nada há de maldito nela. Aliás, se este criadouro não for respeitado, nem isto mais teremos. Assim, como é difícil amar o que não se conhece, convidam-se a todos a visitar nosso Pontal Norte e a participar das mensais limpezas do lugar, quando então descobrir-se-á o tesouro que ali existe".

TIJUCAS

Nosso Município, um dos privilegiados de Santa Catarina, foi agraciado por abundância de água doce, por ricas minas de areia e de argila e por uma nesga de oceano assentado numa bela e rica baía que, por sua beleza, riqueza e calma, atrai viajantes desde priscas eras, como o notório Sebastião Caboto. Além dessas e outras vantagens, está cortado pela duplicada BR-101, da qual os tijuquenses se utilizam para ir e vir a Itapema, Balneário Camboriú e demais importantes municípios ao norte e à Grande Florianópolis, ao sul.E ainda contam com o oceano a leste que lhes pode, também, dar acesso, por meio de agradável viagem marítima, uma das maiores baía de Santa Catarina, localizada em Porto Belo, além de Bombinhas e Governador Celso Ramos. A oeste, por meio de extensa planície, podem ir aos municípios do Vale do Rio Tijucas e a Brusque.

Nesta região edênica, visionários construirão de imediato dois shoppings com provável instalação de aeroporto internacional, além do Complexo Náutico mais moderno de Santa Catarina. Com tudo isso e muito mais, acredita-se que nossa população passe a considerar como maravilhosa a sua terra e com elevada autoestima participe deste crescimento e desenvolvimento, de modo a merecer o habitat deste paraíso, tantas vezes menosprezado pelos nativos. E nunca mais, jamais ficar na torcida do “tomara que não dê certo”. Tal e quais antigos açorianos que construíam suas casas de costa para a praia, de modo a facilitar a limpeza dos quintais e esgotos, que eram jogados no mar, nossos antigos moradores e nem tão antigos, menosprezaram também o seu mar, deslocando-se da inicial cidade do bairro Praça para o oeste da atual BR-101. Foi assim que loteamentos crescem em direção ao município de Canelinha, prédios foram e são construídos próximos a indústrias e ao barulho da BR, longe da paz e da beleza que se podem usufruir junto ao litoral. Mesmo que nossa baía tenha fundo de lama, sua natureza, ela não difere das que há na avenida Beira-mar de Florianópolis e de São José, sabidamente de entorno valorizadíssimo pela procura que têm. Enquanto lá a área é nobre, por que assim a tornaram seus habitantes, a nossa é ironicamente chamada por nós mesmos de Copalama, quando possui um belo e conhecido nome: Pontal Norte.

Doravante, pois, o nome desta área será assim chamado. Ah, a tal lama deste pontal é o criadouro dos saborosos peixes que nossos pescadores põem em nossas mesas, então, nada há de maldito nela. Aliás, se este criadouro não for respeitado, nem isto mais teremos. Assim, como é difícil amar o que não se conhece, convidam-se a todos a visitar nosso Pontal Norte e a participar das mensais limpezas do lugar, quando então descobrir-se-á o tesouro que ali existe.

Agora temos um convite.

Neste sábado (02) um evento deve movimentar as areias do Pontal Norte. A programação será promovida pelos acadêmicos do 6º período do curso de Administração da Univali e tem apoio da Administração Municipal e do SOS Praia de Tijucas. O evento é resultado de um projeto desenvolvido pelos alunos na disciplina de Projetos Sociais - Captação de Recursos.

Está programada uma pedalada, partindo da concha acústica até a praia, a partir das 8h30. Para a praia estão previstas atividades esportivas e recreativas, como aula de zumba, futebol e beachtennis, a partir das 9h.

SAIBA MAIS ==>  http://bit.ly/2AJiXBM

Lorran Barentin / Jornal Razão