nas-redes.png

EDIÇÃO IMPRESSA

Sexta, 24 de outubro

Capa
Capa

EDIÇÃO IMPRESSA


ESPECIAL

'Sou mais feliz hoje, na cadeira de rodas', conta jovem de Tijucas

Por Lorran Barentin / JR
De passo em passo, Marlon está reaprendendo a andar

FÉ. Marlon Rodrigues ficou paraplégico em acidente de moto e encontrou a felicidade através da palavra de Deus

Todos conhecem a história do jovem Marlon Rodrigues, morador do bairro Areias, em Tijucas. A reportagem que contou a difícil luta que ele enfrenta após ter sofrido um grave acidente de moto foi levada ao ar em 31 de outubro de 2018, tendo sido assistida por mais de 475 mil pessoas através das redes sociais do Jornal Razão.

Marlon conduzia uma motocicleta Honda/Biz pela Avenida Carlos Humberto Ternes (P2), no Bairro Joaia, em Tijucas, no dia 08 de setembro de 2018, quando perdeu o controle da direção ao passar por uma lombada, e, daquele momento em diante, diz não lembrar de mais nada.

Os moradores de Tijucas ouviram o grito de socorro de Marlon, proporcionado em 2018 pelo Jornal Razão. Na foto, ao seu lado, o diretor do JR, Leopoldo Barentin e a mãe de Marlon, Dona Izabel Fagundes

Marlon perdeu a consciência e foi socorrido com a cabeça submersa, em uma vala às margens da via, por um funcionário de uma revendedora de veículos das proximidades. Ao acordar, já não sentia mais as pernas.

À época, Marlon fez um desabafo e disse que preferiria até mesmo morrer do que ficar na cadeira de rodas, mas era motivado a seguir em frente por saber que sua filhinha, de apenas seis anos, precisava dele.

O que pouca gente sabe é que hoje, dois anos depois do acidente que mudou completamente sua vida, Marlon é verdadeiramente outro homem. Hoje ele "se encontrou" e descobriu que é mais feliz, mesmo na cadeira de rodas, do que antes do acidente.  

Leia o relato emocionante:

Por Marlon Rodrigues

"Eu tenho certeza que Deus tem um propósito na minha vida. Eu poderia ter morrido naquele acidente. Fiquei com a cabeça submersa na água. Foi por Deus mesmo eu poder estar aqui hoje para contar um pouquinho da minha história de vida. Hoje eu dou mais valor na minha vida, aqui sentado nesta cadeira, do que antes. Temos que valorizar os pequenos detalhes, porque o amanhã só pertence à Deus. Viver o hoje, porque o amanhã ninguém sabe. É bola pra frente. Sou feliz!

A palavra de Deus revolucionou a vida de Marlon

Sou grato à Deus, à minha família, ao Jornal Razão pelas oportunidades, todos aqueles que me ajudaram no começo, que foi muito difícil, mesmo. Muitas vezes já me deu vontade de desistir, mas sempre vem aquela voz no ouvido: "fica firme que és um escolhido". Hoje vou à igreja, aqui pertinho de casa, o Ministério Caminho e a Verdade, onde aprendo muito com o Pastor Neuri e sua esposa missionária Rosa. Agora já tenho um pouco de conhecimento da palavra Dele, sou grato à vida, grato por estar vivo, mesmo sentado nesta cadeira, sou feliz da forma que Deus me deixou, da forma que Deus quer.

Quem me conhece sabe que já fui do mundão, já fiz bastante coisa errada, não tenho porque esconder, mas tudo é um propósito de Deus, sou feliz por estar hoje aqui, com minha família ao meu lado, com os poucos amigos de verdade que permaneceram, principalmente o Samuel, que é meu irmãozão, e o Saulinho da SG Pinturas.

Agora, dia após dia, literalmente de passo em passo, começo a voltar a andar. Preciso aprender novamente a caminhar. Quem me ajuda muito nesse processo é o fisioterapeuta Marcos, ali do Coroado, e a fisioterapeuta Sheylha, do CCR. Os médicos achavam que eu nunca voltaria a andar e não voltaria a sentir a parte de baixo do meu corpo, mas graças a Deus eles estavam errados. Também preciso agradecer ao casal Gean e Alice da Double Toxic, que organizaram a Vibe do Bem, um evento que arrecadou fundos para reformar a minha moradia e adequá-la às minhas necessidades.

Em 2019, Marlon participou do desfile de 7 de setembro, junto ao grupo de percussão Tijucas Bum, do maestro Luiz Carlos. Marlon já tocou há 10 anos, quando andava e ano passado ele me fez o convite pra tocar, dessa vez na cadeira de rodas

Sou mais feliz hoje, na cadeira de rodas, do que antes. Muita gente pode achar que não, mas sou bem sincero em dizer isso. As vezes dá vontade de se isolar, passa um filme na cabeça. Mas a verdade é que o cara não dava valor às coisas importantes da vida. Mesmo ganhando pouquinho da aposentadoria, muito menos do que conseguia trabalhando como pintor, consigo me manter, ajudar minha mãe, minha filha, meu pai, ou seja, minha família.

O amanhã só a Deus pertence. Nas minhas orações, quando falo com Deus, digo que se fosse para eu ficar de pé e voltar a fazer as mesmas coisas, prefiro ficar sentadinho na cadeira, seguindo minha vida da melhor forma. A vida não acaba. Ela continua. Pra muitos que acham que não posso fazer nada, estão errados. Pode sim. O que era as pernas, agora é os bracinhos tocando a cadeira. Sou feliz mesmo. Mais uma vez agradeço ao Lorran que novamente abriu as portas para mim.

Para finalizar, quero deixar uma palavra profética: Deus não é homem para que minta, nem filho do homem para que se arrependa!"

Marlon com a mulher da sua vida, sua filhinha Isabely Gallotti Faial




ULTIMAS NOTÍCIAS

jr.png

| | insta |

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.


Whatsapp
(48) 8453-0809

 

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

 

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.