nas-redes.png

EDIÇÃO IMPRESSA

Sexta, 20 de novembro

Capa
Capa

EDIÇÃO IMPRESSA


POLÍCIA

Ex servidora registra B.O contra prefeito Gean por estupro

ASSESSORIA FALA EM ARMAÇÃO ELEITORAL PARA PREJUDICAR IMAGEM DO CANDIDATO

O JR obteve acesso a um boletim de ocorrência (Registro 0671397/2020-BO 00125.2020.0005161), registrado no último dia 9, na Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso no Bairro Agronômica, em Florianópolis, que relata um estupro que teria sido cometido pelo prefeito da capital e candidato à reeleição, Gean Loureiro (DEM), dentro da Secretaria de Turismo. Conforme o documento, uma então servidora municipal, de 46 anos, teria sido estuprada no dia 10 de outubro de 2019 pelo chefe do Poder Executivo.
Segundo o relato, a comunicante trabalhava no gabinete do secretário municipal de Turismo, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico. Num dia de 2017, não especificado, ela teria ficado sozinha arrumando a sala de reuniões, quando o prefeito Gean Loureiro, "inexplicavelmente passou a fazer investidas" contra a funcionária. Ela diz no B.O. que o prefeito "a agarrou, segurou firme com uma das mãos um de seus braços e com a outra mão tentou tocar as partes íntimas por baixo das roupas dela. Imediatamente, ela o empurrou e deixou a sala". Ela relata que ficou muito abalada e envergonhada com a situação, e não teria contado a ninguém do ocorrido.
Entre o final de 2017 e o início de 2018, segundo consta no boletim de ocorrência, a comunicante estaria no gabinete do secretário de Turismo quando o prefeito Gean teria entrado na sala e pediu para que ela buscasse água, e teria pedido os nomes das pessoas que ele, o prefeito, iria atender. Neste momento o secretário teria saído da sala para que Gean iniciasse os atendimentos marcados. Assim que a comunicante retornou ao gabinete para levar água para o prefeito, Gean teria trancado a porta do gabinete e novamente investido contra a funcionária, "passou a abraçá-la e baixou a calça e a calcinha da comunicante, que, em choque, não conseguiu reagir", conforme relatado no documento.
Na sequência, ainda segundo o boletim, Gean teria empurrado a comunicante contra uma mesa e passou a praticar conjunção carnal, que durou poucos minutos. Logo depois o prefeito teria vestido sua calça e abriu a porta, momento em que a comunicante se vestiu e saiu rapidamente da sala. A comunicante relata que ficou em choque e, desde então, passou a ter crises de ansiedade, vindo a procurar um psicólogo e um psiquiatra, porém não teve coragem de contar pra ninguém pois teria medo do poder do prefeito e vergonha da situação.
No dia 10 de outubro de 2019, segundo o B.O., ela estava trabalhando na Secretaria de Turismo quando recebeu uma mensagem do superintendente do setor, que teria enviado uma mensagem avisando que o prefeito usaria a sala do secretário novamente para atendimento - momento em que ela teria ficado novamente muito assustada. Por volta das 16h deste dia, Gean teria chegado na secretaria e iniciado seus atendimentos.
Por volta das 19h, a comunicante estaria se preparando para sair do local, quando o prefeito teria começado a puxar conversa e ela, temendo que poderia acontecer, instintivamente colocou seu celular pra gravar. Na sequência, Gean teria trancado a porta da sala e começado a se despir. Ele teria baixado a calça da comunicante, e a empurrado em cima de um sofá e praticado conjunção carnal, que teria durado poucos minutos.
Segundo relatado no boletim de ocorrência, ele teria se vestido, sem falar nada, e saiu da sala. A comunicante teria ficado em pânico. Desde então, "chegava quase todos os dias chorando em casa, até que, após trabalhar muito o assunto em terapia, tomou coragem e decidiu buscar justiça, contou todos aos fatos ao seu marido, que a apoiou".
Ao final do relato a comunicante disse que sentia grave ameaça, pois o autor seria muito poderoso na cidade, e que em hipótese alguma teria consentido a prática de tais atos. Ela disse possuir imagens do ato e que pode apresentar às autoridades. Ela informou os nomes de seu psicólogo e sua psiquiatra como testemunhas dos fatos.
O QUE DIZEM OS CITADOS
Em contato realizado na tarde desta quarta-feira (28) com Bruno Oliveira, chefe de Gabinete da Prefeitura de Florianópolis, o Litoral 10 recebeu a seguinte declaração: "Vamos informar ao juiz eleitoral que há uma armação eleitoral tentando prejudicar a imagem do candidato".
Fonte: Litoral 10



ULTIMAS NOTÍCIAS

jr.png

| | insta |

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.


Whatsapp
(48) 8453-0809

 

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

 

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.