nas-redes.png

EDIÇÃO IMPRESSA

Sexta, 11 de dezembro

Capa
Capa

EDIÇÃO IMPRESSA


POLÍCIA

Mulher que matou grávida para roubar bebê da barriga é executada pela Justiça dos EUA

Lisa Montgomery, a mulher que foi condenada nos Estados Unidos a pena de morte por matar uma grávida para roubar o bebê do ventre da vítima, foi executada nesta quarta-feira (13), pelo Governo Federal dos EUA. Essa foi a primeira vez que uma mulher foi condenada a pena de morte depois de quase 70 anos. Além disso, a decisão da execução dela foi um dos últimos atos do governo do presidente Donald Trump.

A execução chegou a ser suspensa por um juiz de Indiana, mas o Supremo reverteu a decisão e ordenou que o ato prosseguisse. A defesa de Montgomery, que tentava impedir a execução, alegava que ela sofria de distúrbios mentais. Foi a primeira mulher executada pelo governo federal dos EUA desde 1953. 

O presidente, um defensor da pena de morte, ignorou uma petição de clemência apresentada por apoiadores de Lisa Montgomery, de 52 anos, a condenada Montgomery foi morta com uma droga letal, o pentobarbital. Antes de receber a injeção nos braços, ela bateu os dedos nervosamente e fechou os olhos. 

Ela ainda engasgou quando a substância entrou no seu corpo -sua barriga chegou a mexer, mas ela parou rapidamente. Um funcionário com um estetoscópio entrou na sala, ouviu o coração e o pulmão de Montgomery e, à 1h31 (horário local), declarou que ela estava morta. 

O Crime

Em dezembro de 2004, aos 36 anos, Lisa irigiu por quase três horas de sua casa em Melvern, no estado do Kansas, até Skidmore, uma cidade no Missouri. Ela foi à casa de Bobbie Jo Stinnett, uma jovem de 23 anos, que ela havia conhecido pela internet. Stinnett e o marido, Zeb, de 24 anos, esperavam o primeiro filho, e ela estava no oitavo mês de gestação. Ela usou nome e e-mail falsos para marcar a visita, sob o pretexto de comprar um filhote de cachorro (a vítima era uma criadora de cães). 

Segundo o Departamento de Justiça dos EUA, dentro da residência, Montgomery atacou e estrangulou Stinnett, que estava grávida de oito meses, até que a vítima perdeu a consciência. "Usando uma faca de cozinha, Montgomery então cortou o abdome de Stinnett, o que fez com que ela retomasse a consciência. Uma luta se seguiu, e Montgomery estrangulou Stinnett até a morte", diz o texto do Departamento de Justiça dos EUA.



Com informações do G1




ULTIMAS NOTÍCIAS

jr.png

| | insta |

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.


Whatsapp
(48) 8453-0809

 

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

 

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.