13/11/2017 às 13h13 - Atualizado em 13/11/2017 às 17h51

Creche do Jardim Progresso é exemplo para a comunidade

Lorran François Barentin

O Centro de Educação Infantil Professor Marco Aurélio de Oliveira, estabelecido no Jardim Progresso, está desenvolvendo um projeto que já deu muitos resultados positivos. Por intermédio do professor de Biologia Augusto Flávio Porto da Veiga e auxílio de país como Ilton da Silva, que diariamente marca presença no educandário, o CEI ganhou uma horta orgânica suspensa.

“Tudo começou com tubos de PVC obsoletos do SAMAE, que foram retirados do sistema de distribuição de água para serem encaminhados à reciclagem. No entanto, o que era sucata deu origem a um belo projeto”, destaca o biólogo.

A intenção era possibilitar que a escola produzisse boa parte dos alimentos consumidos pelas crianças, o que acabou acontecendo. Hoje, com o cultivo de cheiro verde, alface, couve, beterraba, cenoura, tomate e até moranguinho, a creche é auto-sustentável em hortaliças. A produção é tão intensa que as verduras e legumes que sobram na horta são distribuídos na comunidade.

“Eu venho aqui todo dia ajudar porque tenho filhos que precisam e merecem educação de qualidade. A horta está do lado da cozinha. É um alimento fresco, saudável, direto para as crianças”, salienta o pai Ilton da Silva.

O trabalho com a horta ainda cumpre a função de transmitir aos alunos os valores da preservação do meio ambiente e de ensiná-los a cuidar e preparar a terra.

Lorran François Barentin/JR