15/12/2017 às 08h08 - Atualizado em 15/12/2017 às 09h16

Vereador Juarez presidirá o Legislativo

TIJUCAS

 

Em reunião ordinária realizada na noite de segunda-feira (11), a última do ano, ocorreu a eleição para definir a composição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Vereadores. Embora contando com seis parlamentares e o voto do vereador do PDT Fabiano Morfeller, a Bancada de Oposição à Administração Elói Mariano Rocha perdeu o comando daquela Casa de Leis.

A Bancada de Situação elegeu o vereador do PPS Juarez Soares para presidir o Poder Legislativo a partir de 1º de janeiro de 2018, tendo como vice o vereador do DEM Rudnei de Amorim. A 1ª Secretaria ficou com a vereadora Maria Edésia Vargas, a Déda do PT. Para a 2ª Secretaria os situacionistas elegeram a vereadora Elizabete Mianes da Silva, do PSD.

O presidente eleito concedeu entrevista exclusiva à TV Razão, que você pode assistir em www.jornalrazao.com, bem como ao Jornal Razão impresso, quando nos prestou as seguintes informações:

Razão: Quem é o cidadão Juarez Soares?
Juarez:
Um cidadão orgulhoso em ser tijuquense. Sou bacharel em Direito, servidor público estadual e vereador. Não sou casado e tenho muita vontade de ajudar minha cidade.

Razão: Qual foi o poder de convencimento para conquistar um voto do vereador de Oposição para elegê-lo?
Juarez:
Não tenho motivo para esconder os fatos. O vereador Claudio Tiago Isidoro votou em mim por confiar na minha pessoa e na nossa proposta de Administração do Poder Legislativo. O Claudio tem apoiado a Bancada de Situação e resolveu continuar por este caminho. Nós, os governistas, estamos mostrando que queremos o melhor para a cidade e sua gente e essa também é a bandeira dele.

Razão: O suplente de vereador Claudio deve assinar ficha no PSD?
Juarez:
Com relação ao vereador Claudio assinar a ficha no PSD eu não posso afirmar essa situação, mas posso garantir, com certeza, que esse parlamentar hoje é muito mais afinado com os vereadores de Situação e está junto conosco em qualquer circunstância, do que com os vereadores do PMDB e o do PDT.

Razão: Você já tem um plano de trabalho definido para 2018?
Juarez:
O meu trabalho com relação para definição para o próximo exercício, ou seja, 2018, é de um Legislativo mais transparente. Quero uma Câmara Municipal que use os meios de comunicação para informar à comunidade de como é gasto o dinheiro do povo, de como é arrecadado e de que forma é aplicado cada centavo da população de Tijucas. Esse é o principal plano de mandato da Presidência no próximo ano.

Razão: Procede a informação de que você extinguirá seis cargos comissionados?
Juarez:
É verdade. Hoje temos seis cargos comissionados ocupados por servidores indicados pelo PMDB. A Câmara Municipal ainda ficará com 27 funcionários, sendo 13 vagas para cada um dos 13 parlamentares. É muita gente. Com a extinção desses cargos o Legislativo tijuquense economizará mais de R$ 20 mil por mês. São aproximadamente R$ 250 mil por ano só com esses servidores, o que daria R$ 1 milhão por mandato. Esse dinheiro que economizaremos voltará no final de cada ano para os cofres da Prefeitura, afim de que seja transformado em benefícios à comunidade.

Razão: O que muda na relação entre o Executivo e Legislativo com a sua vitória?
Juarez:
O principal é afinidade. O prefeito trabalha melhor com a maioria dos vereadores a favor do Governo e com um presidente que tem compromissos com um plano de trabalho alinhado com o seu. Quero inovar, mostrar que os vereadores são competentes para mudar a história política da cidade. Fomos eleitos junto com o prefeito e precisamos desenvolver ações conjuntas, que nos permitam alcançar nossas propostas de trabalho.

Razão: Onde você acha que o presidente Elói Pedro Geraldo errou como presidente?
Juarez:
Creio que foi manter esses seis cargos ocupados por seus correligionários e não atender a proposta que a Bancada de Situação fez em agosto: pedimos que ele extinguisse os cargos e economizasse esses recursos investidos de maneira perdulária. Ele não deu ouvidos para nós e deixou pra mim resolver o caso. E um dos meus primeiros atos será apresentar um projeto propondo a extinção destes cargos.

Razão: É sua intenção mexer na Lei Orgânica e no Regimento Interno da Câmara?
Juarez:
A Lei Orgânica é de 1990 já tem 17 anos e está desatualizada. O mesmo acontece com o Regimento Interno. Quando retornarmos as atividades ordinárias apresentarei um projeto de resolução criando uma Comissão Parlamentar Especial (CPE), formada pela nossa Assessoria Jurídica, Administrativa e Contábil e por vereadores de ambas as bancadas, com a missão de revisar as determinações legais da Carta Magna do Município e o nosso Regimento. Temos que adequá-los às constituições Federal e Estadual, para que venham ao encontro dos interesses da coletividade.

Razão: Que avaliação você faz do trabalho do Legislativo Tijuquense em 2017?
Juarez:
É uma avaliação positiva. Dos 13 vereadores dessa Legislatura nove exercem o cargo de representantes do povo pela primeira vez. Tivemos ideias inovadoras, ouvimos a população através das reuniões itinerantes, visitando os bairros e localidades do interior. Demos exemplos de boa vontade com o ensejo da nossa gente em questões como a do Ecoparque e da Penitenciária Industrial, ocasião em que realizamos a maior audiência pública da história política do Vale. Penso que cada vereador deu o melhor de si.

Razão: Que mensagem você deixa aos nossos leitores?
Juarez:
Quero que a população reconheça que tem um presidente que exige transparência em tudo que acontece no Poder Legislativo, que incentivará as boas iniciativas e que, fundamentalmente, economiza o dinheiro que o contribuinte deixa em impostos. Pretendo economizar ao máximo para no final do meu mandato ter dinheiro para devolver à Prefeitura, no sentido de que seja transformado em benefícios para o povo. No mais desejo boas festas a todos, com um Natal alegre e um ano novo de boas realizações.

Lorran François Barentin/JR