Maior estelionatária do Brasil é presa

Mulher aplicou golpes em SC e responde 51 processos pelo Brasil

Maior estelionatária do Brasil é presa Reprodução

Mulher aplicou golpes em SC e responde 51 processos pelo Brasil

Participe do grupo e receba as principais notícias
da região em tempo real.

Continua depois da publicidade

Considerada uma das maiores estelionatárias do Brasil, Adriana Maria de Oliveira Furtado, de 55 anos, foi preso na terça-feira (21), em Campina Grande, na Paraíba, pela Polícia Civil. Suspeita de aplicar golpes em diversos estados do país, inclusive em Santa Catarina, nas cidades de Blumenau, Brusque, Apiúna e Gaspar, ela responde por ao menos 51 processos.

A prisão dela aconteceu no momento em que estava em uma agência de cooperativa de crédito tentando se passar por uma cliente. O delegado Demétrius Patrício afirmou, em entrevista coletiva, nesta quarta-feira (22), que Adriana é suspeita de praticar estelionato desde os 18 anos e que tem um patrimônio avaliado em R$ 10 milhões.

Ainda conforme a Polícia Civil, a mulher possui 7 CPFs e tem entre as vítimas de golpes uma ministra do STJ e uma desembargadora do Estado da Bahia. A suspeita tem processos na Paraíba, Rio Grande do Norte, São Paulo e Santa Catarina.

Segundo o superintendente da Polícia Civil de Campina Grande, delegado Glauber Fontes, as polícias de outros estados informaram que Adriana estaria em Campina Grande e que tentaria aplicar golpes em agências bancárias. A partir disso, a Polícia Civil montou uma estratégia para tentar localizá-la. O delegado explicou, ainda, que a investigada falsificava documentos e fingia ser cliente de agências bancárias para pedir saques. Ela já havia aplicado um golpe na cidade e Campina Grande em 2020, no valor de R$ 20 mil.

Procurada, a Polícia Civil de Santa Catarina informou que está ciente da prisão da estelionatária ocorrida na Paraíba. “A suspeita possuía inquéritos policiais em várias cidades do País, tendo inclusive sido investigada também pela DEIC. Em SC, os casos mais recentes ocorreram nas cidades de Blumenau, Brusque, Apiúna e Gaspar”, informou a Polícia Civil de SC por meio da assessoria de imprensa.


Fonte: Visor Notícias


Siga-nos no Google News

CLIQUE PARA CONTINUAR A LEITURA