Homem que matou ex-companheiro com chocolate envenenado é condenado em SC

A vítima era um estudante de engenharia de 21 anos de idade

Homem que matou ex-companheiro com chocolate envenenado é condenado em SC Divulgação

A vítima era um estudante de engenharia de 21 anos de idade

Participe do grupo e receba as principais notícias
da região em tempo real.

PUBLICIDADE topsul


O homem que matou o seu ex-namorado após o termino do relacionamento com um chocolate envenenado, foi condenado a 30 anos de prisão  em Santa Catarina. Segundo o Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC) acusou Eduardo de homicídio triplamente qualificado, por ter sido praticado mediante dissimulação e motivo fútil. O acusado foi condenado a cumprir 30 anos de prisão em regime fechado.


PUBLICIDADE

mg

TV Razão

Conversa Franca com Gean Loureiro
Conversa Franca

Prefeito de Tijucas participa do Conversa Franca

Assista agora!

O ex-companheiro morreu ao consumir o chocolate "letal" devido à intoxicação sofrida no dia 3 de janeiro de 2019 onde crime foi cometido em um bairro próximo à universidade na Carvoeira, em Florianópolis.  O juízo do Tribunal do Júri da Comarca da Capital negou ao condenado o direito de recorrer em liberdade.






O homem que matou o seu ex-namorado após o termino do relacionamento com um chocolate envenenado, foi condenado a 30 anos de prisão  em Santa Catarina. Segundo o Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC) acusou Eduardo de homicídio triplamente qualificado, por ter sido praticado mediante dissimulação e motivo fútil. O acusado foi condenado a cumprir 30 anos de prisão em regime fechado.

TV Razão

Prefeito de Tijucas participa do Conversa Franca
Conversa Franca

Em pauta, saúde de Tijucas, destino do Hospital São José, obras na cidade e os bastidores da Administração Municipal. Assista!

Assista agora!


O ex-companheiro morreu ao consumir o chocolate "letal" devido à intoxicação sofrida no dia 3 de janeiro de 2019 onde crime foi cometido em um bairro próximo à universidade na Carvoeira, em Florianópolis.  O juízo do Tribunal do Júri da Comarca da Capital negou ao condenado o direito de recorrer em liberdade.





Siga-nos no Google News

CLIQUE PARA CONTINUAR A LEITURA

alliance
alliance

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

iPet