Mãe diz que faltou suporte por falta de UTI na morte de bebê

Estamos sem chão sem nossa bebê

Mãe diz que faltou suporte por falta de UTI na morte de bebê Divulgação

Estamos sem chão sem nossa bebê

Participe do grupo e receba as principais notícias
da região em tempo real.

PUBLICIDADE ALLIANCE



O colapso na saúde catarinense vem custando vidas e dessa vez uma bebê morreu a espera de uma UTI em Florianópolis conforme relatou a família.

PUBLICIDADE

Scopel Salas

TV Razão

Em pauta, saúde de Tijucas, destino do Hospital São José, obras na cidade e os bastidores da Administração Municipal. Assista!
Conversa Franca

Em pauta, saúde de Tijucas, destino do Hospital São José, obras na cidade e os bastidores da Administração Municipal. Assista!

Assista Agora


A mãe Samara Esther disse que a primeira internação de sua filha foi no início do mês de maio ao descubrir a doença de bronquiolite, Maria Sofia deu entrada no hospital já em um leito de UTI, onde ficou por cerca de 13 dias e foi dado alta mesmo sem ter condições o suficiente de saúde de ir para a casa da família. A menina teve seu retorno no dia 4 de junho e o seu estado de saúde se agravou após quatro dias no hospital e precisando de um leito de UTI que foi negado por falta de vaga.


Infelizmente por falta de suporte conforme a família relatou a menina não resistiu e foi a óbito no Hospital Infantil Joana de Gusmão.



TV Razão

Em pauta, saúde de Tijucas, destino do Hospital São José, obras na cidade e os bastidores da Administração Municipal. Assista!
Conversa Franca

Em pauta, saúde de Tijucas, destino do Hospital São José, obras na cidade e os bastidores da Administração Municipal. Assista!

Assista Agora

O colapso na saúde catarinense vem custando vidas e dessa vez uma bebê morreu a espera de uma UTI em Florianópolis conforme relatou a família.


A mãe Samara Esther disse que a primeira internação de sua filha foi no início do mês de maio ao descubrir a doença de bronquiolite, Maria Sofia deu entrada no hospital já em um leito de UTI, onde ficou por cerca de 13 dias e foi dado alta mesmo sem ter condições o suficiente de saúde de ir para a casa da família. A menina teve seu retorno no dia 4 de junho e o seu estado de saúde se agravou após quatro dias no hospital e precisando de um leito de UTI que foi negado por falta de vaga.


Infelizmente por falta de suporte conforme a família relatou a menina não resistiu e foi a óbito no Hospital Infantil Joana de Gusmão.

Siga-nos no Google News

CLIQUE PARA CONTINUAR A LEITURA

Kock
Kock

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

topsul