Até sua emancipação, Tijucas era um bairro de Porto Belo

Pouco mais de um século após a chegada dos açorianos, toda a região da Costa Esmeralda e Vale do Rio Tijucas pertencia a Vila de Porto Belo. O atual município de Tijucas era apenas um bairro, naqueles tempos chamados de freguesia

Até sua emancipação, Tijucas era um bairro de Porto Belo Lorran Barentin / Jornal Razão

Pouco mais de um século após a chegada dos açorianos, toda a região da Costa Esmeralda e Vale do Rio Tijucas pertencia a Vila de Porto Belo. O atual município de Tijucas era apenas um bairro, naqueles tempos chamados de freguesia

Participe do grupo e receba as principais notícias
da região em tempo real.

PUBLICIDADE dosol

O poeta Manoel dos Anjos afirma que Caboto foi quem viu primeiro esta terra colossal: Tijucas. 

De fato, documentos históricos apontam que o navegador italiano Sebastião Caboto, que fazia o mapeamento da costa Brasileira para Portugal, adentrou nas águas do Rio Tijucas com uma pequena embarcação.

Caboto teria subido o rio até onde está hoje o Porto da Itinga, justamente aquele denominado pelos Carijós como “rio de águas claras”, ou seja, Itinga.

PUBLICIDADE

Posto

TV Razão

Conversa Franca com Gean Loureiro
Conversa Franca

Prefeito de Tijucas participa do Conversa Franca

Assista agora!

Mas não foi nesta época que iniciou nossa colonização. Como explicado anteriormente, apenas quando Portugal percebeu o risco de perder permanentemente nossas valiosas terras que se iniciou os núcleos secundários de povoamento.

Terra sem igual

Pouco mais de um século após a chegada dos açorianos, toda a região da Costa Esmeralda e Vale do Rio Tijucas pertencia a Vila de Porto Belo. O atual município de Tijucas era apenas um bairro, naqueles tempos chamados de freguesia. Foi nesse período que tiveram início as tratativas para a criação da “Vila de São Sebastião da Foz do Tijucas Grande”.

O povoado prosperava em razão da agricultura, extração de madeiras e da navegação de cabotagem, tornando-se muito mais forte economicamente que Porto Belo, que na ocasião vivia basicamente da pesca e da agricultura. Importante ressaltar que a fertilidade do solo da região de Porto Belo não era nem de longe comparável com a das extensas planícies tijuquenses que se estendiam da Foz até o Rio do Braço, entre os atuais municípios de São João Batista e Nova Trento.

O Município de Tijucas foi instalado a 13 de junho de 1860, época em que o imperador Dom Pedro II Governava o Brasil. Francisco Carlos de Araújo Brusque era o Presidente da Província e o Coronel Luiz Francisco de Souza Conceição liderava a política tijuquense.

Quando foi instalada a Vila de São Sebastião do Tijucas Grande não havia a figura do prefeito. Quem comandava a cidade era o presidente da Câmara Municipal, também chamada de Conselho Municipal.

Este artigo integra o especial "Tijucas: passado, presente e futuro", do Jornal Razão. Clique aqui e saiba mais. 


O poeta Manoel dos Anjos afirma que Caboto foi quem viu primeiro esta terra colossal: Tijucas. 

De fato, documentos históricos apontam que o navegador italiano Sebastião Caboto, que fazia o mapeamento da costa Brasileira para Portugal, adentrou nas águas do Rio Tijucas com uma pequena embarcação.

TV Razão

Prefeito de Tijucas participa do Conversa Franca
Conversa Franca

Em pauta, saúde de Tijucas, destino do Hospital São José, obras na cidade e os bastidores da Administração Municipal. Assista!

Assista agora!

Caboto teria subido o rio até onde está hoje o Porto da Itinga, justamente aquele denominado pelos Carijós como “rio de águas claras”, ou seja, Itinga.

Mas não foi nesta época que iniciou nossa colonização. Como explicado anteriormente, apenas quando Portugal percebeu o risco de perder permanentemente nossas valiosas terras que se iniciou os núcleos secundários de povoamento.

Terra sem igual

Pouco mais de um século após a chegada dos açorianos, toda a região da Costa Esmeralda e Vale do Rio Tijucas pertencia a Vila de Porto Belo. O atual município de Tijucas era apenas um bairro, naqueles tempos chamados de freguesia. Foi nesse período que tiveram início as tratativas para a criação da “Vila de São Sebastião da Foz do Tijucas Grande”.

O povoado prosperava em razão da agricultura, extração de madeiras e da navegação de cabotagem, tornando-se muito mais forte economicamente que Porto Belo, que na ocasião vivia basicamente da pesca e da agricultura. Importante ressaltar que a fertilidade do solo da região de Porto Belo não era nem de longe comparável com a das extensas planícies tijuquenses que se estendiam da Foz até o Rio do Braço, entre os atuais municípios de São João Batista e Nova Trento.

O Município de Tijucas foi instalado a 13 de junho de 1860, época em que o imperador Dom Pedro II Governava o Brasil. Francisco Carlos de Araújo Brusque era o Presidente da Província e o Coronel Luiz Francisco de Souza Conceição liderava a política tijuquense.

Quando foi instalada a Vila de São Sebastião do Tijucas Grande não havia a figura do prefeito. Quem comandava a cidade era o presidente da Câmara Municipal, também chamada de Conselho Municipal.

Este artigo integra o especial "Tijucas: passado, presente e futuro", do Jornal Razão. Clique aqui e saiba mais. 


Siga-nos no Google News

CLIQUE PARA CONTINUAR A LEITURA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ALLIANCE 300X600