Em um mês, varíola dos macacos já está presente em mais de 30 países

Já são mais de mil casos registrados da doença

Em um mês, varíola dos macacos já está presente em mais de 30 países Reprodução

Já são mais de mil casos registrados da doença

Participe do grupo e receba as principais notícias
da região em tempo real.

Continua depois da publicidade

Há um mês, um homem residente no Reino Unido voltava de viagem após ir à Nigéria e se tornou o primeiro caso de varíola dos macacos neste ano. Agora, o mundo registra 1.101 casos em 31 países, no que é considerado o maior surto da doença fora do continente africano.

O segundo caso foi descoberto uma semana depois do primeiro registro. Duas pessoas de uma mesma família, na qual ninguém viajou ou teve relação com o primeiro contaminado, apresentaram os sintomas: febre aguda, linfonodos inchados e lesões cutâneas.

Os números de casos da doença são coletados em tempo real pela plataforma Global.health, que conta com pesquisadores de universidades de Harvard e Oxford.

A secretária de varíola do Programa de Emergências Sanitárias da OMS (Organização Mundial da Saúde), Rosamund Lewis, declarou nos últimos dias que "a varíola dos macacos não é uma doença nova. Ela tem sido descrita por pelo menos 40 anos e tem sido bem estudada na região africana".

A diferença é que a transmissão em outros continentes era incomum até então. "Nós vimos poucos casos na Europa nos últimos cinco anos, apenas em viajantes, mas esta é a primeira vez que estamos vendo casos em diversos países ao mesmo tempo", declarou a secretária.

No último mês, a doença foi registrada nos seguintes países: Alemanha, Argentina, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Emirados Árabes Unidos, Escócia, Eslovênia, Finlândia, França, Hungria, Irlanda, Irlanda do Norte, Israel, Itália, Letônia, Malta, Marrocos, México, Noruega, País de Gales, Países Baixos, República Tcheca, Suécia e Suíça.

Fonte: ND+ e R7

Siga-nos no Google News

CLIQUE PARA CONTINUAR A LEITURA