PORTO BELO - Identificado homem que foi assassinado em disputa de terras

Polícia suspeita que traficante tenha sido "contratado" para matar Eliseu. As guarnições encontraram um revólver e quilos de maconha na casa de um dos suspeitos

PORTO BELO - Identificado homem que foi assassinado em disputa de terras Reprodução / Polícia Militar

Polícia suspeita que traficante tenha sido "contratado" para matar Eliseu. As guarnições encontraram um revólver e quilos de maconha na casa de um dos suspeitos

Participe do grupo e receba as principais notícias
da região em tempo real.

Continua depois da publicidade

A Polícia Militar deu uma rápida resposta após um homicídio registrado na cidade de Porto Belo.

O comandante Eder Jaciel ordenou que as guarnições realizassem diligências para identificar e prender os responsáveis por matar Eliseu Soares na manhã deste domingo. 

O crime aconteceu numa servidão, no final de uma rua, já em área de mata, mais precisamente na Servidão José de Oliveira. 

A guarnição foi acionada e encontrou Eliseu já em óbito, com marcas de golpes de arma branca na cabeça. A esposa da vítima testemunhou o crime. Ela relatou aos policiais que estava plantando maracujá no terreno com seu esposo quando os autores chegaram ao local.

Segundo o relato da testemunha, eram dois masculinos, um deles em posse de arma de fogo. Eles teriam ofendido o homem e ordenado que abandonasse aquele local, pois "sabiam onde ele era e onde morava". 

Eliseu teria entrado em briga com os indivíduos e acabaram saindo da área de mata. A esposa ouviu três ou quatro disparos e logo em seguida mais dois homens chegaram ao local. Eles teriam ordenado que Eliseu corresse para dentro da área de mata e a partir daí sua esposa não lhe viu mais. 

Após algum tempo, saiu da área de mata e viu seu esposo caído no local com vários cortes na cabeça. Ela pediu por socorro e as guarnições foram acionadas. Logo após matarem Eliseu, a esposa teria ouvido os envolvidos conversando com um vizinho que mora nas imediações. O homem teria saído junto com os assassinos daquele local. 

Nenhum nome teria sido dito durante a discussão, disse a mulher. 

Os policiais realizaram buscas na moradia do suspeito e encontraram 3,4 kg de maconha, uma balança de precisão, um revólver calibre .38 com numeração raspada, uma espingarda de pressão e um celular com a tela danificada. 

O crime será investigado pela Polícia Civil e a PM continua em diligências para localizar os criminosos. 

Siga-nos no Google News

CLIQUE PARA CONTINUAR A LEITURA