“Saudade em gratidão”: Família doa órgãos de filha e salva vidas

Ela teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC) confirmada pelos médicos

“Saudade em gratidão”: Família doa órgãos de filha e salva vidas Redes sociais

Ela teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC) confirmada pelos médicos

Participe do grupo e receba as principais notícias
da região em tempo real.

PUBLICIDADE mg tec


A professora Jéssica Hoffmann de 29 anos, natural de Chapecó região Oeste de Santa Catarina que morava desde fevereiro em Balneário Camboriú. Na última segunda-feira(4) ela morreu após um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e foi confirmada pelos médicos. A jovem ficou seis dias internada na UTI do Hospital Ruth Cardoso, em Balneário Camboriú.

A família mesmo em meio a dor precisou buscar forças nesse momento de luto, e decidiu pela doação dos órgãos da professora Jéssica. Uma atitude de compaixão e amor ao próximo, que vai ajudar a salvar entre seis a oito vidas na fila de espera. Já que era o seu desejo e foi atendida pelos familiares. A jovem deixou seu legado o que mais amava era cuidar de vidas, principalmente a de seus alunos onde atuou nas cidades de Chapecó, Balneário Camboriú e Itajaí.

PUBLICIDADE

MANECAR

TV Razão

Conversa Franca com Gean Loureiro
Conversa Franca

Prefeito de Tijucas participa do Conversa Franca

Assista agora!


A professora Jéssica Hoffmann de 29 anos, natural de Chapecó região Oeste de Santa Catarina que morava desde fevereiro em Balneário Camboriú. Na última segunda-feira(4) ela morreu após um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e foi confirmada pelos médicos. A jovem ficou seis dias internada na UTI do Hospital Ruth Cardoso, em Balneário Camboriú.

TV Razão

Prefeito de Tijucas participa do Conversa Franca
Conversa Franca

Em pauta, saúde de Tijucas, destino do Hospital São José, obras na cidade e os bastidores da Administração Municipal. Assista!

Assista agora!

A família mesmo em meio a dor precisou buscar forças nesse momento de luto, e decidiu pela doação dos órgãos da professora Jéssica. Uma atitude de compaixão e amor ao próximo, que vai ajudar a salvar entre seis a oito vidas na fila de espera. Já que era o seu desejo e foi atendida pelos familiares. A jovem deixou seu legado o que mais amava era cuidar de vidas, principalmente a de seus alunos onde atuou nas cidades de Chapecó, Balneário Camboriú e Itajaí.

Siga-nos no Google News

CLIQUE PARA CONTINUAR A LEITURA

Trevisul 02
Trevisul 02

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

MANECAR