Policial Militar fabricava drogas em Santa Catarina e vendia para todo o Brasil

Investigações estão sendo realizadas desde o final de 2021

Policial Militar fabricava drogas em Santa Catarina e vendia para todo o Brasil Divulgação

Investigações estão sendo realizadas desde o final de 2021

Participe do grupo e receba as principais notícias
da região em tempo real.

PUBLICIDADE MINI KALZONE ESPECIAL

Um policial militar foi preso, nesta quarta-feira (25), no bairro Areias, em São José, na Grande Florianópolis, suspeito de envolvimento na produção, venda e distribuição nacional de drogas.

De acordo com a Polícia Civil, a Deic (Diretoria Estadual de Investigações Criminais) realizou o cumprimento de mandados de busca e apreensão e de prisão temporária contra uma pessoa suspeita de envolvimento. As buscas foram cumpridas nas cidades de Florianópolis, São José e Biguaçu.

Durante as buscas da Operação Drukken Op, foi apreendido prensas mecânicas, maquinário, insumos, princípios ativos e comprimidos já prensados e prontos para a distribuição.

PUBLICIDADE

TREVISUL 300X600

TV Razão

Conversa Franca com Gean Loureiro
Conversa Franca

Prefeito de Tijucas participa do Conversa Franca

Assista agora!

Além disso, os policiais encontraram diversas munições de armas de fogo de uso militar e material indicando esquema montado para o tráfico de drogas.

Conforme apuração exclusiva da repórter da NDTV, Gabriela Milanezi, as investigações estão sendo realizadas desde o final de 2021, quando identificaram que o suspeito estava mandando remessas pelos Correios.

Em nota, a PMSC (Polícia Militar de Santa Catarina) informou que o caso está sendo acompanhado pela Corregedoria-Geral do órgão, que também acompanhou os agentes durante o cumprimento dos mandados. A Corregedoria-Geral, inclusive, "tomará todas as providências para que o fato seja esclarecido e que todas as ações legais necessárias sejam tomadas em conjunto com a Polícia Civil".

Segundo a Polícia Civil, o homem também comprava insumos que eram recebidos através dos Correios e transportadoras. Os comprimidos de ecstasy eram enviados para o Brasil inteiro como, por exemplo, Recife (PE), Porto Velho (RO) e Itamaraju (BA).

As investigações encontraram corantes que seriam utilizados para a fabricação da droga na residência do policial e também nos armários do batalhão.

A Corregedoria Geral da Polícia Militar de Santa Catarina também acompanhou os agentes durante o cumprimento dos mandados.

Confira a nota da PMSC:

"A Polícia Militar de Santa Catarina participou juntamente com a Policia Civil, no final da tarde desta quarta-feira, 25, da prisão de um policial militar, lotado no 24º BPM de Biguaçu, por suspeita em participação de produção de droga sintética.

Deu-se cumprimento a dois mandados de busca e apreensão em duas residências e em uma delas o policial foi preso em flagrante.

A Corregedoria-Geral da Policia Militar está acompanhando o caso e tomará todas as providências para que o fato seja esclarecido e que todas as ações legais necessárias sejam tomadas em conjunto com a Polícia Civil.

A PMSC reforça seu compromisso com a estrita legalidade, não compactuando com qualquer conduta ilícita nas fileiras da corporação."

FONTE: Gabriela Milanezi, repórter NDTV

Um policial militar foi preso, nesta quarta-feira (25), no bairro Areias, em São José, na Grande Florianópolis, suspeito de envolvimento na produção, venda e distribuição nacional de drogas.

De acordo com a Polícia Civil, a Deic (Diretoria Estadual de Investigações Criminais) realizou o cumprimento de mandados de busca e apreensão e de prisão temporária contra uma pessoa suspeita de envolvimento. As buscas foram cumpridas nas cidades de Florianópolis, São José e Biguaçu.

TV Razão

Prefeito de Tijucas participa do Conversa Franca
Conversa Franca

Em pauta, saúde de Tijucas, destino do Hospital São José, obras na cidade e os bastidores da Administração Municipal. Assista!

Assista agora!

Durante as buscas da Operação Drukken Op, foi apreendido prensas mecânicas, maquinário, insumos, princípios ativos e comprimidos já prensados e prontos para a distribuição.

Além disso, os policiais encontraram diversas munições de armas de fogo de uso militar e material indicando esquema montado para o tráfico de drogas.

Conforme apuração exclusiva da repórter da NDTV, Gabriela Milanezi, as investigações estão sendo realizadas desde o final de 2021, quando identificaram que o suspeito estava mandando remessas pelos Correios.

Em nota, a PMSC (Polícia Militar de Santa Catarina) informou que o caso está sendo acompanhado pela Corregedoria-Geral do órgão, que também acompanhou os agentes durante o cumprimento dos mandados. A Corregedoria-Geral, inclusive, "tomará todas as providências para que o fato seja esclarecido e que todas as ações legais necessárias sejam tomadas em conjunto com a Polícia Civil".

Segundo a Polícia Civil, o homem também comprava insumos que eram recebidos através dos Correios e transportadoras. Os comprimidos de ecstasy eram enviados para o Brasil inteiro como, por exemplo, Recife (PE), Porto Velho (RO) e Itamaraju (BA).

As investigações encontraram corantes que seriam utilizados para a fabricação da droga na residência do policial e também nos armários do batalhão.

A Corregedoria Geral da Polícia Militar de Santa Catarina também acompanhou os agentes durante o cumprimento dos mandados.

Confira a nota da PMSC:

"A Polícia Militar de Santa Catarina participou juntamente com a Policia Civil, no final da tarde desta quarta-feira, 25, da prisão de um policial militar, lotado no 24º BPM de Biguaçu, por suspeita em participação de produção de droga sintética.

Deu-se cumprimento a dois mandados de busca e apreensão em duas residências e em uma delas o policial foi preso em flagrante.

A Corregedoria-Geral da Policia Militar está acompanhando o caso e tomará todas as providências para que o fato seja esclarecido e que todas as ações legais necessárias sejam tomadas em conjunto com a Polícia Civil.

A PMSC reforça seu compromisso com a estrita legalidade, não compactuando com qualquer conduta ilícita nas fileiras da corporação."

FONTE: Gabriela Milanezi, repórter NDTV

Siga-nos no Google News

CLIQUE PARA CONTINUAR A LEITURA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

UVEL 03