Programa Protetores do Lar é lançado em Tijucas

Programa conta com a atuação efetiva da PMSC, OAB e Procuradoria da Mulher da Prefeitura Municipal de Tijucas

Programa Protetores do Lar é lançado em Tijucas PM/Divulgação

Programa conta com a atuação efetiva da PMSC, OAB e Procuradoria da Mulher da Prefeitura Municipal de Tijucas

Participe do grupo e receba as principais notícias
da região em tempo real.

Continua depois da publicidade

O Programa Institucional Protetores do Lar foi lançado na noite desta terça-feira (7) em evento na Câmara de Vereadores de Tijucas.

Com o propósito de reduzir os casos de violência doméstica, o programa busca a formação de adolescentes do 3º ano do ensino médio, ensinando-os como proteger seus lares da violência doméstica e familiar.

Esta formação teve início em 2019, na cidade de Imbituba, em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil e o Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), tornando-se um programa institucional da Polícia Militar de Santa Catarina. 

O programa é pautado na preservação da ordem pública e na proteção das mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, se sustentando em ações como palestras e encontros presenciais que norteiam e difundem o conhecimento acerca do tema.

Na Capital do Vale, o Programa conta com a atuação efetiva da PMSC, OAB e Procuradoria da Mulher da Prefeitura Municipal de Tijucas.

O evento na Câmara contou com a presença do comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar, tenente coronel Daniel Nunes da Silva e do comandante da 3ª companhia, Major Favoretto, além da Presidente da OAB subseção Tijucas, Dra. Priscila Pimentel Feller , da diretora da escola Estadual Cruz e Souza,  Iara Gasperi da Silva, representando o CREAS a Sara,  da Procuradora da Procuradoria da Mulher, vereadora Nadir Amorim, além das promotoras de justiças, Dras. Mirella Dutra Albertoni e Juliana Goulart Ferreira, além de outras autoridades civis e militares. 

Na cerimônia de formatura, os novos Protetores do Lares entoarão o seguinte juramento:

“Juro ser protetor da mulher contra violência doméstica. 

Seja ela física, psicológica, patrimonial, sexual, moral.

Independente de classe, nível econômico ou intelectual.

Para que toda mulher tenha seus direitos assegurados conforme estabelecido na Constituição.

Igualdade, cultura, justiça, saúde e educação. Juro!"


Siga-nos no Google News

CLIQUE PARA CONTINUAR A LEITURA