Vereador do PT é preso em operação contra desvio de doações do Governo Lula ao RS

A ação foi realizada pela Polícia Civil e pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público

Vereador do PT é preso em operação contra desvio de doações do Governo Lula ao RS

Divulgação

No WhatsApp do JR tem notícia toda hora! Clique aqui para acessar.

Um vereador do Partido dos Trabalhadores (PT) foi preso neste sábado (8) em Palmares do Sul, Litoral Norte do Rio Grande do Sul, sob acusação de desviar doações enviadas pelo Governo Federal às vítimas das enchentes de maio. A ação foi realizada pela Polícia Civil e pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público.

A operação, conduzida pelos promotores de Justiça Mauro Rockenbach e Leonardo Rossi, juntamente com o delegado Antônio Ractz, resultou na prisão em flagrante do vereador Filipe Lang, do PT, que também é pré-candidato a prefeito de Palmares do Sul. Durante as buscas, as autoridades encontraram na residência de Lang um revólver em situação irregular, além de celulares e cerca de R$ 15 mil em dinheiro.

A investigação revelou que Lang teria intermediado a distribuição de 18 toneladas de donativos, incluindo alimentos, cestas básicas, cobertores e colchões. Em um vídeo publicado em 2 de junho, Lang agradece ao ministro Paulo Pimenta e à Secretaria Extraordinária pela Reconstrução do RS pelos donativos destinados às famílias quilombolas de Bacupari e às famílias do assentamento da Granja Vargas. “Dezoito toneladas de donativos pra Palmares do Sul através do ministro Paulo Pimenta, que hoje representa o Governo Federal em Ministério Extraordinário de Reconstrução ao Rio Grande do Sul. Nesses dois caminhões que nós recebemos tem alimento, cestas básicas, cobertas, colchões, nós vamos destinar para as famílias quilombolas do Bacupari e famílias do assentamento da Granja Vargas da reforma agrária”, afirmou o vereador petista.

Segundo o promotor Rockenbach, parte dos donativos foi desviada para famílias não atingidas pelas enchentes, o que foi comprovado por meio de planilhas apreendidas. “E já temos provas de que parte destes donativos foi encaminhada para famílias não flageladas pelas cheias, conforme planilhas apreendidas”, declarou Rockenbach. A maior parte do material foi encontrada no distrito de Quintão, em áreas não afetadas pelas cheias, incluindo uma lanchonete pertencente a um familiar de um dos vereadores investigados.

O delegado Ractz destacou que os donativos não passaram oficialmente pela prefeitura de Palmares do Sul, como deveria ter acontecido. “A Polícia Civil está apurando crimes praticados para obtenção de donativos e desvio de finalidade na distribuição. São investigados três vereadores, pré-candidatos”, resumiu Ractz. Além de Lang, outro vereador também foi alvo de mandado de busca e apreensão. O detido foi liberado no mesmo dia mediante pagamento de fiança.

Na operação deste sábado, foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão na área central da cidade e no balneário de Quintão. Outros municípios já sofreram buscas semelhantes. Os crimes investigados incluem apropriação indébita, peculato, falsidade ideológica e associação criminosa.

Para o Diário Gaúcho, da RBS, o ministro Paulo Pimenta confirmou que as 18 toneladas de donativos foram enviadas pela secretaria que chefia, destinadas a uma igreja local para distribuição aos flagelados. No entanto, surgiram suspeitas de que o nome da igreja foi usado para desviar os donativos. “Fomos informados agora que o nome da igreja foi usado para repassar esses donativos a lugares que parecem não ser os apropriados e sugerimos à Polícia Civil que investigue se houve desvio de objetivo”, comentou Pimenta.

O vereador Lang alegou que a arma apreendida era um presente antigo de seu avô e negou ter desviado os donativos, afirmando que apenas repassou as doações conforme anunciado em vídeo. Com informações de Humberto Trezzi - RBS.